Ordem do currículo: como organizar as seções

Ordem do currículo: como organizar as seções

Há diversas formas de organizar as suas informações e a ordem do currículo quanto à sequência de seções. Isso depende do modelo de currículo que você escolher, que, por sua vez, deve refletir seu gosto pessoal e as informações que você deseja valorizar mais. Por isso, não existe um formato ideal, mas sim opções que estão à disposição de todos para que cada um defina o que funciona melhor para si. Neste artigo, explicamos tudo que você precisa saber sobre como organizar suas informações em um currículo.

Como dissemos, não há um padrão obrigatório ou universal ao preparar um currículo. No entanto, alguns modelos acabaram consagrados ao longo do tempo e tornaram-se as opções mais frequentes. Basicamente, você pode escolher entre três formatos principais, quanto à ordem do currículo:

Não há, entre eles, um formato melhor que o outro. Cada modelo favorece aspectos diferentes e mostra-se uma opção mais inteligente conforme os tipos de profissional, vaga de emprego e mercado de trabalho. Seja qual for o modelo escolhido, o importante é que o currículo esteja bem escrito, tenha uma boa formatação e seja consistente.

Ordem do currículo cronológico

Se você já tem alguma experiência no mercado de trabalho, provavelmente já notou que um tipo de currículo costuma aparecer mais que os outros. Esse formato, em que são destacados empregos anteriores e graus escolares/acadêmicos do candidato, é o modelo mais tradicional de currículo. Ele destaca a experiência e a formação do profissional, vistos como os aspectos mais relevantes para que um recrutador ou empregador avalie as suas qualidades.

O modelo mais comum desse currículo tradicional é o cronológico reverso, em que os itens das seções Experiência e Educação são listados do mais recente para o mais antigo. No caso, a ordem do currículo começa pelo seu último emprego. Da mesma forma, você inicia o documento pela formação mais recente (que também costuma ser a mais avançada). Quando a ordem dos itens é inversa, ou seja, da mais antiga para a mais nova, chama-se a este modelo apenas de currículo cronológico.

Em ambos os tipos de currículo cronológico, as seções seguem esta ordem, considerando apenas as seções mais comuns:

  • Dados Pessoais
  • Resumo Profissional
  • Experiência
  • Educação/Formação
  • Habilidades
  • Idiomas

No entanto, existe um formato no qual a ordem do currículo se altera: o currículo funcional.

Currículo funcional

Neste caso, a principal diferença é o destaque dado à seção Habilidades, que passa a ser incluído logo após o Resumo Profissional, ou seja, antes da Experiência, da Educação/Formação e de outras seções que o candidato decida colocar no currículo.

Essa inversão da ordem do currículo ocorre, logicamente, para valorizar as habilidades do candidato, sinalizando que elas são mais importantes que a sua experiência profissional e que sua formação acadêmica/escolar. Portanto, pode ser uma opção interessante, por exemplo, para candidatos que tenham pouca experiência em geral ou na área em que pretendem trabalhar. Eles podem ter adquirido de outra maneira as competências necessárias para a função à qual estão se candidatando, seja como autodidatas ou por outro meio menos tradicional, como cursos online, workshops ou durante uma formação.

O currículo funcional tem sido cada vez mais adotado na área de tecnologia da informação, por exemplo. Devido ao dinamismo de muitos setores com intensidade na aplicação de novas tecnologias, nem sempre o ensino formal é capaz de acompanhar as exigências de certas funções. Ao mesmo tempo, as constantes transformações nesses setores fazem surgir, muitas vezes, cargos e funções totalmente novos, aos quais a experiência profissional anterior dos candidatos nem sempre corresponde perfeitamente.

Relevância e objetividade no currículo

Independentemente do modelo adotado, você deverá primar pela relevância das informações, pela objetividade e pela concisão em seu currículo. É importante saber por onde começar e onde terminar o currículo, incluindo todas as informações realmente necessárias sem ultrapassar o comprimento ideal. O ideal é que o currículo não passe de uma página (ou duas, caso você realmente tenha muito a mostrar).

Os recrutadores normalmente leem dezenas ou mesmo centenas de currículo, em uma seleção de emprego. Por isso, tendem a descartar currículos demasiadamente longos ou repletos de informações desnecessárias. A desorganização também pode ser um problema. A consistência é um elemento fundamental em um bom currículo. Ela também se manifesta na ordem do currículo e no modo como as informações são apresentadas.

Dica valiosa

Certifique-se de incluir as informações mais importantes no início do currículo e escolha cuidadosamente o que deseja compartilhar em seu currículo, com base na relevância para o emprego ao qual está se candidatando e o que deseja destacar. Suas decisões podem impactar não apenas a ordem entre as seções, mas também a ordem das informações dentro de cada seção.

Selecionado as informações para o seu currículo

Todo profissional costuma ter dúvidas sobre o que deve ou não incluir no currículo. Salvo raras exceções, dificilmente as pessoas têm trajetórias profissionais "perfeitas". É normal, por exemplo, mudar de área entre um emprego e outro ou passar a trabalhar em algo não relacionado à sua formação.

Mesmo que você tenha uma trajetória sem maiores inconsistências, poderá ter de escolher o que é mais relevante para o currículo por motivos de concisão, caso tenha muita experiência, por exemplo. No sentido oposto, caso você tenha pouca ou nenhuma experiência, poderá ter de valorizar mais alguns aspectos em seu currículo para compensar.

Seja qual for o seu caso, ao se deparar com uma página em branco, pode ser extremamente difícil decidir o que colocar e o que deixar de fora do seu currículo. A avaliação deverá levar em conta as suas qualidades pessoais, mas também os requisitos e o perfil de profissional buscados para a vaga à qual você está se candidatando.

Por isso, antes de preparar seu currículo, leia bem a descrição da vaga e pesquise sobre a empresa, acessando seu site oficial e perfis em redes sociais. Entender os critérios da vaga é essencial para saber como estruturar seu currículo.

Dica valiosa

Uma boa forma de economizar tempo e estar sempre pronto(a) para preparar rapidamente um currículo customizado é ter um documento básico completo com todas as informações mais ou menos relevantes de sua trajetória profissional. Assim, quando você for preparar um novo currículo para uma vaga específica, bastará filtrar o conteúdo de acordo com ela.

Pensando caso a caso

Como já falamos, a ordem do currículo deve ser pensada caso a caso, de acordo com a sua experiência e competências pessoais. No entanto, algumas opções tendem a funcionar melhor para alguns tipos de profissionais. Confira a seguir alguns casos.

Profissionais experientes

Se você estiver se candidatando a uma vaga em uma área na qual você já tem experiência profissional relevante, o ideal é optar pelo básico, seguindo a ordem do currículo cronológico reverso. Ou seja, obedecendo a esta sequência: Dados Pessoais, Resumo Profissional, Experiências, Educação/Formação, Habilidades e Idiomas.

Estudantes ou profissionais com pouca experiência

Se você estiver em início de carreira e tiver pouca ou nenhuma experiência profissional, o mais indicado é a utilização de um currículo cronológico normal, com as seções:

  • Dados Pessoais
  • Resumo profissional
  • Educação/Formação
  • Experiência (incluindo estágios)
  • Habilidades
  • Idiomas

Note que, neste caso, recomenda-se que a seção Educação/Formação seja colocada antes da Experiência.

Alternativamente, caso você tenha pouca experiência, mas apresente habilidades relevantes para a vaga (conhecimentos em software, vendas etc.), poderá optar pelo currículo funcional. Nesse caso, coloque a seção Habilidades logo após a seção Resumo Profissional.

Profissionais em transição

Se você decidiu trocar de área ou profissão recentemente, é provável que tenha poucas experiências relevantes para destacar em seu currículo ao concorrer a uma vaga de emprego. Nesse caso, é bom ter um currículo funcional, pois ele permitirá destacar suas habilidades e deixar em segundo plano a seção dedicada às suas experiências.

Trabalhadores autônomos

Profissionais que trabalham de forma autônoma também podem se beneficiar de um currículo no formato funcional, com uma seção dedicada às habilidades logo após o Resumo Profissional. É possível, ainda, incluir dados que valorizem seu conhecimento. Ao dizer que você tem habilidades em certa linguagem de programação, por exemplo, você pode citar seu tempo de experiência com ela, número de projetos nos quais trabalhou ou outro indicador relevante.

Depois, na seção Experiência, você poderá listar alguns projetos importantes nos quais tenha trabalhado como freelancer. Assim, você estará complementando as informações fornecidas sobre suas habilidades.

Finalmente

A ordem do currículo é essencial para dar fluência à leitura e tornar mais relevante a sua candidatura. O mesmo pode ser dito da ordem das experiências no currículo e da forma como você as seleciona, conforme a vaga e de acordo com seus pontos fortes e fracos. Um candidato de nível apenas razoável, mas com um currículo bem escrito e organizado, pode muitas vezes levar a melhor sobre um candidato de melhor nível, mas com um currículo mal-feito.

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.