Interesses pessoais e hobbies no currículo

Interesses pessoais e hobbies no currículo

Na hora de montar um currículo, informar a sua formação, experiências profissionais anteriores e habilidades pessoais é indispensável. No entanto, há outras informações que geram dúvidas quanto à sua utilização. Usá-las ou não depende muito da vaga à qual você está se candidatando e do seu perfil profissional. Um exemplo são os seus interesses pessoais e hobbies. Vale a pena adicioná-los em seu currículo? Quais você pode incluir? Neste artigo, tentamos responder a essas perguntas e damos dicas para você dar um toque pessoal em seu currículo - da maneira correta.

Descrever interesses pessoais e hobbies pode ser uma boa forma de valorizar o seu currículo, principalmente em algumas situações específicas. Por exemplo, se você ainda não tem um histórico profissional muito extenso ou relevante. Muitas vezes, um hobby ou interesse pessoal do candidato pode sinalizar uma qualidade que interessa a um empregador ou tem relação com uma função específica. Se você estiver concorrendo a uma vaga que exige boa capacidade de trabalhar em equipe, pode ser um bom sinal para o recrutador que seu hobby preferido seja praticar um esporte coletivo.

Entendendo a diferença entre interesses pessoais e hobbies

Apesar de haver uma relação entre eles, interesses pessoais e hobbies não são o mesmo. Os hobbies são qualquer tipo de atividade que você pratica com alguma frequência, por iniciativa própria. Já interesses pessoais são assuntos ou práticas que interessam a você e que podem até ter alguma relação com a sua atividade profissional. Ao mesmo tempo, em alguns casos, podem não passar de algo que você deseja colocar em prática ou em que pretende se aprofundar futuramente.

Digamos que você gosta de jardinagem, por exemplo. Se você apenas lê sobre o assunto, e ele não tem relação direta com o seu trabalho, você tem:

  • Interesse: jardinagem
  • Hobby: ler sobre jardinagem

No entanto, nesse caso, a jardinagem, em si, ainda não é um hobby seu. É possível que você também passe a praticar jardinagem em algum momento. Nesse caso, ela deixa de ser apenas um interesse para se tornar um hobby.

Apesar das diferenças, é bom deixar claro que tanto hobbies quanto interesses pessoais podem ser indiretamente relacionados com o seu trabalho. Compreender essas diferenças é importante para saber como incluir um hobby ou interesse em seu currículo - ou mesmo citá-lo em uma entrevista de emprego, caso o recrutador pergunte a respeito.

Quando incluir interesses pessoais ou hobbies no currículo

Nem sempre acrescentar esses itens terá um grande impacto em seu currículo. Caso você já tenha bastante experiência e seja um profissional altamente qualificado para uma função, dedicar uma seção a interesses pessoais e hobbies pode ser um toque pessoal interessante, e pouco além disso. No entanto, em algumas situações, esse pode ser o toque que faltava para chamar a atenção do recrutador.

Confira algumas situações em que incluir interesses pessoais ou hobbies é mais indicado:

  1. Quando você tem pouca ou nenhuma experiência profissional
  2. Quando sua experiência anterior não tem muita relação com a vaga pretendida
  3. Quando você sabe que a empresa para a qual está se candidatando costuma valorizar esse tipo de informação
  4. Quando a descrição da vaga incentiva a inclusão dessas informações ou demonstra valorizar o perfil pessoal dos candidatos

Como você deve ter percebido, os dois primeiros cenários dependem principalmente do seu histórico profissional e qualificação. Os outros dois estão mais relacionados com a empresa onde você pretende trabalhar.

Ou seja, antes de decidir sobre mencionar ou não seus hobbies e interesses pessoais, você precisa fazer uma análise sobre seu nível de qualificação para a vaga pretendida. Além disso, deve pesquisar bastante sobre a empresa. Só assim saberá avaliar o quanto ela valoriza aspectos pessoais dos candidatos e o quanto você pode se beneficiar disso.

O que incluir no currículo

Há pelo menos duas perguntas essenciais que você deve saber responder, quando estiver pensando em incluir em incluir um hobby ou interesse específico no currículo:

  • Ele retrata você de forma positiva?
  • Ele é relevante para a empresa ou para a vaga pretendida?

Muitas vezes, seus hobbies ou interesses pessoais podem estar diretamente relacionados à sua profissão ou à área em que você pretende trabalhar. Para um jornalista, mencionar o interesse em ler sobre um tema específico pode ser um bom sinal para o recrutador. Se você gosta de usar redes sociais, pode destacar isso em uma seleção para uma vaga na área de marketing.

Você deve ser estratégico(a). Mesmo quando não há uma relação direta com a vaga pretendida, seus hobbies e interesses pessoais podem sinalizar habilidades e qualidades importantes, como concentração (xadrez, meditação), capacidade de trabalhar em grupo (esportes em grupo, causas sociais) ou criatividade (atividades artísticas em geral, como desenho ou dança).

Exemplos de hobbies para colocar no currículo:

  • Ler/Escrever (especificar gênero ou tema)
  • Produzir conteúdo para o Youtube
  • Cozinhar
  • Voluntariado
  • Prática de esportes (correr, jogar futebol etc.)
  • Tocar instrumentos musicais
  • Atividades artísticas, como teatro, dança ou artes plásticas
  • Meditação
  • Trabalhos manuais como jardinagem ou marcenaria
  • Coleções (mencionar o objeto)

Exemplos de interesses pessoais para colocar no currículo:

O que não incluir no currículo

Por outro lado, há hobbies e interesses pessoais que podem não ser bem vistos pelo recrutador ou que simplesmente não sejam relevantes em um currículo. Pense bem antes de mencionar atividades que:

  • Possam ser vistas como violentas ou radicais
  • Possam indicar um comportamento anti-social
  • Indiquem sua afiliação política ou sua religião
  • Sejam muito genéricas (ver televisão, sair com amigos etc.)

Como incluir interesses pessoais e hobbies no currículo

Você deve incluir seus hobbies e interesses de uma forma inteligente. Evite dar a eles um destaque maior do que eles merecem. Afinal, sua formação acadêmica ou escolar, sua experiência profissional e suas habilidades técnicas ainda serão, normalmente, os elementos mais importantes de qualquer currículo. Seus hobbies e interesses são complementos que podem ganhar uma relevância maior ou menor dependendo da vaga à qual você está concorrendo, mas nunca serão o principal.

Portanto, o mais indicado é listar esses elementos em uma seção específica, ao final do currículo. Indique os hobbies e interesses que você considerar relevantes, com uma pequena sentença descrevendo cada ítem. Lembre-se que o ideal é o currículo não passar de uma ou (no máximo) duas páginas, a não ser em casos específicos.

Por isso, evite gastar espaço com exemplos irrelevantes ou com descrições muito longas e desnecessárias. Inclua apenas os hobbies e interesses pessoais que possam realmente dar algum brilho ao seu currículo.

Exemplo para uma vaga de desenvolvedor de software:

Interesses pessoais e hobbies

  • Práticas esportivas (futebol e musculação)
  • Jogos de videogame (Ação e Aventura)

Neste caso, as práticas esportivas citadas podem indicar facilidade de relacionamento interpessoal (futebol) e perseverança (musculação). Já o gosto por jogos de videogame reforça um perfil voltado à tecnologia.

Finalmente

Você certamente tem qualidades pessoais que costuma direcionar para uma atividade não relacionada (diretamente) à sua profissão. Mostrar esse seu lado em uma seleção de emprego pode ser uma boa estratégia, se você souber como fazê-lo. Siga as nossas dicas e boa sorte!

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.