Referências no currículo: quando e como incluir

Referências no currículo: quando e como incluir

Boas referências a seu respeito podem ser um fator decisivo ao procurar um emprego. Normalmente, quando falamos em referências para o mercado de trabalho, elas podem tanto vir de pessoas com quem você já trabalhou quanto do meio acadêmico (por exemplo, professores e orientadores). As referências podem ser incluídas em uma carta de apresentação, mas também no currículo.

Se decidir citá-las, ao concorrer a uma vaga específica, você deve tomar todos os cuidados para que isso seja feito de forma profissional e sem margem a qualquer constrangimento. Afinal, é possível que o recrutador entre em contato, efetivamente, com as pessoas que você apontou como referências no currículo. Logo, qualquer informação desencontrada por minar a sua credibilidade.

Você também deverá ter critérios objetivos e selecionar bem as referências que deseja incluir no currículo. Em vez de tentar impressionar pela quantidade, opte por referências relevantes na área e que realmente possam fazer a diferença a seu favor.

O que é uma referência profissional?

Quando se fala em referências no mercado de trabalho, muitas pessoas podem pensar que se trata do famoso "pistolão". Ou seja, a indicação de alguém para uma vaga de emprego como favor praticado em nome de laços de amizade ou de algum outro motivo não relacionado à competência do profissional. No Brasil, talvez haja ainda mais preconceito em relação a isso, em comparação com outros países, devido a um histórico de desemprego alto e desigualdade social.

No entanto, a referência profissional pode ser, sim, baseada na competência do profissional, e é assim que as empresas sérias a veem. Uma referência profissional seria, em resumo, uma pessoa que conhece o seu trabalho e que se disponibiliza a falar com um recrutador a seu respeito. Essa pessoa pode ser um(a) ex-chefe ou ex-colega de trabalho, ou, ainda, como mencionado anteriormente, algum contato do meio acadêmico. Logicamente, você só incluirá uma referência em seu currículo se acredita que essa pessoa terá coisas boas para falar sobre você.

Quando incluir referências no currículo

Em geral, referências não são algo obrigatório em um currículo profissional, mas com certeza há muitos benefícios em incluí-las. Muitas vezes, as referências são mais importantes em funções muito técnicas, para as quais os recrutadores procuram alguém com domínio comprovado. Também são importantes para o preenchimento de cargos de confiança, como em diretorias de empresas ou em atividades que envolvem o acesso a dinheiro ou a segurança de bens e pessoas.

No entanto, não são apenas as características da vaga que tornam relevante ou não a inclusão de referências no currículo. Dependendo do seu perfil e do seu histórico profissional, você pode se beneficiar de apresentar boas referências em uma seleção de emprego. Esse é o caso, por exemplo, de profissionais que tenham trabalhado por muito tempo, ou na maior parte do tempo, como autônomos. Em casos assim, você não conta com a validação proporcionada pela listagem de empregadores relevantes em seu currículo. Porém, pode compensar isso fornecendo referências de ex-clientes seus ou de profissionais que trabalharam junto a você em algum projeto.

Apesar de sua relevância, você deve pensar bem antes de listar referências em seu currículo. Afinal, o espaço de um currículo normalmente é curto. Além disso, você provavelmente terá outras oportunidades e meios de citar suas referências. É possível, inclusive, que o próprio recrutador pergunte por elas em algum momento. De forma geral, portanto, você deve fazer questão de mencionar referências no currículo em duas situações:

  • Se isso é exigido na descrição da vaga ou pedido expressamente pelo recrutador
  • Se você tem uma ou mais referências de enorme relevância, do tipo que podem valer, efetivamente, a sua contratação

Outra opção é pedir às pessoas que você pretende ter como referências para que escrevam cartas de recomendação indicando você à empresa. O ideal, no entanto, é que você avalie caso a caso a forma ideal de usar suas referências. No Brasil, ao contrário de outros países, não é tão comum citá-las formalmente, seja por meio de cartas de recomendação ou como parte do currículo. Elas costumam ser mais citadas em entrevistas de emprego ou mesmo em meio aos contatos com os profissionais responsáveis pela seleção.

Você pode, ainda, incluir uma frase no fim do seu currículo destacando que você pode fornecer referências a seu respeito, caso haja interesse. Assim, você deixa nas mãos do recrutador/empregador decidir se quer ou não receber essas informações. A frase pode ser algo simples, como “Posso fornecer referências a pedidos”.

Por fim, se estiver em dúvida sobre o procedimento mais adequado, tente falar com alguém da empresa e indague a respeito. Na dúvida, o melhor é evitar exageros e esperar o momento certo para citar suas referências (como ao telefone ou durante uma entrevista de emprego).

Como incluir referências no currículo

Caso você decida incluir referências profissionais diretamente no currículo, pode fazer isso criando uma seção específica com o nome "Referências" no fim do documento. As informações relevantes de cada referência são:

  • Nome completo
  • Cargo e local de trabalho
  • Relação profissional que você tem ou teve com essa pessoa
  • Meios de contato (preferencialmente, telefone e e-mail)

Exemplo:

Referências

José Ferreira

Gerente operacional da ABC (ex-chefe)

jose.ferreira@abc.com.br

(11) 999 999 999

Jussara Gonçalves

Professora do Departamento de Economia da USP (ex-orientadora)

jus.goncalves@usp.br

(11) 888 888 888

Como conseguir referências profissionais

Se você quiser incluir referências em seu currículo, deve, em primeiro lugar, fazer uma boa seleção. O ideal é ter algo entre duas e três referências, para equilibrar bem a diversidade e a concisão desta seção.

Logicamente, você deve selecionar pessoas relevantes para opinar sobre você, seja pelo cargo que ocupam, seja por terem reconhecida competência técnica. Não precisa, necessariamente, ser um diretor de empresa ou seu ex-chefe. Pode ser, por exemplo, algum antigo colega de trabalho ou de pesquisa. O importante é que essas passem confiança e possam falar positivamente sobre você e sobre sua capacidade de trabalho.

As pessoas que você listou como referências também devem ter uma relação profissional com você. Ou seja, deve ficar claro que elas estão à vontade e são independentes ao dar a opinião positiva a seu respeito. Não caia na tentação de citar amigos ou familiares como referências, pois a opinião deles será relativizada e você poderá, ainda, deixar uma má impressão com essa tentativa.

Não esqueça, claro, de falar com as pessoas que você deseja citar como referências, antes de mencioná-las no currículo. Assim, você estará respeitando a liberdade e a privacidade da pessoa que deseja citar em seu currículo. Ela deve concordar em ser citada e demonstrar que não se importa em ser contatada para falar sobre você. Afinal, ela pode não gostar de receber uma ligação inesperada para tratar de um tema que não a interessa diretamente. Se ela souber com antecedência que poderá ser contatada, também estará mais apta a falar bem sobre você.

Finalmente

Lembre-se que as referências não são um item obrigatório em um currículo profissional. Ou seja, nada de sair à caça de possíveis contatos para adicionar ao seu currículo a qualquer custo. Esse expediente só deve ser utilizado se você sentir que ele pode trazer algum benefício claro e significativo a você. Caso contrário, você poderá estar gastando tempo e energia em algo que não acrescenta em nada (e pode até prejudicar) sua candidatura.

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.