Cursos no currículo: quando e como acrescentar

Cursos no currículo: quando e como acrescentar

Os empregadores normalmente buscam funcionários que tenham algo diferente a oferecer. Por isso, não se restrinja às informações sobre sua formação escolar e acadêmica. Inclua também cursos no currículo, em especial aqueles que tenham relevância para a vaga à qual você está se candidatando. Mencionar cursos e certificados é uma excelente forma de se destacar em um processo seletivo.

Normalmente, quando você acaba de concluir seus estudos, ainda não tem experiência de trabalho ou tem pouca experiência na área pretendida. Mesmo os empregos de meio período, como os estágios escolares ou trabalhos informais, nem sempre serão suficientes para preencher o currículo.

Nesse caso, o melhor a fazer é adicionar cursos no currículo para torná-lo mais atraente e mostrar que você já estudou bastante na área em que deseja trabalhar. Neste artigo, explicamos como fazer isso da forma correta.

Quais cursos no currículo fazem a diferença

Os elementos mais importantes em seu currículo são a experiência profissional e a formação educacional. Quando falamos em formação, ela inclui não apenas a trajetória escolar e acadêmica tradicional, mas também outros cursos e qualificações relevantes. Eles ajudam o empregador a avaliar se você tem o conhecimento e as habilidades necessárias para exercer uma determinada função.

Se você for jovem e estiver recém iniciando sua vida profissional, possivelmente não terá muito o que incluir nas seções de experiência profissional e escolaridade. Nesse caso, você pode optar por mencionar em seu currículo cursos, certificados, workshops e outras atividades de formação na área onde você procura trabalho. Assim, estará tornando o seu currículo mais consistente e convincente.

Se você for experiente em sua profissão, ainda assim pode mencionar cursos no currículo, bem como outras qualificações relevantes. É claro que você precisará ter um maior cuidado para equilibrar seu currículo em termos de espaço, neste caso. No entanto, dependendo da vaga à qual você estiver se candidatando, um curso específico e respeitado no mercado pode marcar a diferença entre você e um outro candidato com currículo semelhante ao seu.

Inclua apenas cursos relevantes

É importante prestar atenção na hora de incluir cursos no currículo. Você deve inserir aqueles que possam agregar valor ao seu currículo, pensando na vaga para a qual você está se candidatando. Com certeza, o empregador irá se interessar por cursos que sejam pertinentes ao cargo, principalmente se você tiver pouca experiência na área.

Ter realizado um curso demonstra não só que você adquiriu um conhecimento específico, que pode ser útil, mas também que você é um(a) profissional interessado(a) e que busca se atualizar sempre que possível.

Se você já tiver muitas informações nas seções reservadas à sua experiência de trabalho e escolaridade, por exemplo, o cuidado deve ser ainda maior. Faça uma boa seleção dos cursos que já realizou. Não há problema em omitir alguns cursos, desde que você mantenha os mais importantes.

Por exemplo, se você fez um curso para florista, mas está se candidatando a uma vaga de vendedor(a) em uma loja de roupas, ele não tem relevância para a vaga. Por outro lado, se você fez um curso para atendimento em floricultura, ele certamente será uma adição interessante ao seu currículo, pois você poderá aproveitar muito do que aprendeu em outro tipo de comércio.

Lembra-se que um currículo de duas páginas é mais que suficiente e você deve evitar deixá-lo muito longo. O ideal é manter seu currículo organizado e objetivo. Ao inserir cursos no currículo profissional faça esse exercício, pense se o curso tem relevância para a vaga de trabalho que está se candidatando.

Priorize os cursos mais recentes

O ideal é sempre valorizar cursos realizados recentemente. Verifique sempre a relevância de mencionar um curso que você fez há muitos anos. Geralmente, quem for ler seu currículo dará menos valor a um curso possivelmente desatualizado ou cujo conteúdo você pode já ter esquecido.

Se você for um(a) profissional experiente, deve ter ainda mais cuidado. Não vale a pena mencionar que você fez um curso específico, há mais de 10 anos, se você aplica os conhecimentos adquiridos naquele curso desde então, em sua rotina profissional.

Por exemplo, um jornalista experiente não precisa mencionar que fez um curso de digitação há 10 anos. Nesse caso, o empregador já presume que, ao longo da carreira, esse jornalista já pôde desenvolver essa habilidade a um nível mais que satisfatório.

Por outro lado, um jornalista pode deixar seu currículo mais atrativo ao mencionar que fez um curso de fotografia ou Photoshop recentemente. Esses são exemplos de cursos para currículo que agregam valor, pois são mesmo um diferencial. Não são qualificações esperadas por parte do recrutador, mas certamente serão bem-vindas.

Cursos que você deve evitar em seu currículo

O ano de realização não é o único fator relevante para levar em conta cursos para currículo. Você não deve incluir cursos no currículo se eles, entre outros casos:

  • Não têm relação com a vaga
  • Indicam conhecimentos muito básicos, em relação ao nível exigido pela empresa
  • Foram ministrados por uma instituição com pouca credibilidade (ou até mal-vista no mercado)

Resumindo, há cursos e cursos. Fuja da tentação de adicionar tudo o que já fez para tentar impressionar o recrutador pela quantidade, em vez da qualidade. O profissional que irá avaliar seu currículo provavelmente será alguém já experiente em filtrar informações irrelevantes e notar as tentativas de forçar a barra.

Tipos de cursos

Quando falamos em cursos para currículo, estamos nos referindo especificamente a cursos que não fazem parte da trajetória acadêmica tradicional. Isso não inclui, por exemplo, cursos de mestrado ou doutorado, nem mesmo especializações acadêmicas. Esses casos todos devem ser incluídos na seção Escolaridade, também nomeada como Educação ou Formação Acadêmica, em alguns casos.

Já os cursos que você realizou em um trabalho anterior, como qualificações e treinamentos, podem ser incluídos na seção dedicada às suas experiências profissionais. Você poderá mencioná-los nas descrições de cada emprego onde os realizou, agregando valor às suas passagens por essas empresas.

E que cursos para currículo não se enquadram nesses casos? Simplesmente todo tipo de curso que não faz parte da sua trajetória acadêmica nem esteve vinculado a um emprego anterior. Isso inclui desde cursos de programação em escolas de informática até workshops de gestão e aulas de escultura. Você pode fazer cursos com duração mais longa ou de curta duração. Há cursos que são feitos em um dia, mas outros podem levar semanas, meses ou até anos. Não há uma regra específica quanto à duração.

Como listar cursos no currículo

Separe uma seção só para mencionar cursos no currículo. Comece seu currículo pelos dados pessoais, depois inclua seu resumo profissional, experiência e escolaridade, todos em partes separadas. Em seguida, adicione uma seção para os seus cursos.

Liste os cursos em ordem cronológica reversa, ou seja, começando pelo mais recente. Em cada item, mencione o nome da instituição, o nome do curso realizado e o período de tempo em que ele foi cursado. Você também pode adicionar outros detalhes, caso sejam relevantes para a vaga, como o resumo do conteúdo de cada curso e a qualificação obtida.

Finalmente

Ao incluir cursos em seu currículo, tenha em mente que você não é obrigado(a) a incluir essa seção, nem os recrutadores esperam informações desse tipo, a não ser em casos específicos. Portanto, não mencione cursos apenas por mencionar. Pense no que pode dar um brilho a mais em seu currículo e torná-lo um(a) profissional mais interessante para a vaga desejada. Boa sorte!

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.