Como criar um currículo funcional

Como criar um currículo funcional

A maioria dos profissionais costuma criar seu currículo seguindo o formato tradicional. Nesse formato, a experiência profissional e a formação do candidato têm maior evidência, ficando logo após os dados pessoais. No entanto, essa é apenas uma das formas possíveis de preparar um currículo. Dependendo do seu caso, pode ser uma boa ideia adotar um currículo funcional, em que as suas habilidades assumem a posição de destaque.

Neste artigo, explicamos melhor a diferença entre os dois formatos, explicamos quando um currículo funcional pode ser uma boa opção à versão tradicional e ensinamos você a preparar um, passo a passo. Vamos lá?

O que é um currículo funcional?

O currículo funcional tem um enfoque diferente do observado no modelo tradicional. Na versão tradicional, as informações sobre a experiência profissional e a formação educacional formam as duas primeiras seções do currículo, após os dados do candidato. Além disso, em cada uma dessas seções, as informações são descritas em ordem cronológica reversa (ou seja, iniciando pelo que é mais recente).

Já no currículo funcional, a primeira seção após os dados pessoais do candidato é dedicado às suas habilidades ou competências. Ao destacar as habilidades do candidato, esse modelo coloca em segundo plano a ordem cronológica de experiências profissionais e educacionais do candidato.

A esta altura, você deve estar se perguntando sobre a diferença, na prática, entre cada um desses formatos. Além disso, pode estar em dúvida sobre qual a melhor escolha para você. Nas próximas seções, tratamos exatamente dessas questões.

Quando preparar um currículo funcional

Antes de optar por adotar um currículo funcional, é importante avaliar se ele realmente é a melhor opção para você. Afinal, a definição do formato de currículo ideal depende das características da trajetória profissional, da formação e das habilidades do candidato. Ao mesmo tempo, deve-se observar as características da vaga para a qual o currículo está sendo apresentado.

Em geral, o currículo tradicional é mais adequado para quem tem uma trajetória profissional relevante e consistente, cuja relação com a vaga pretendida é clara e direta. Nesse caso, faz sentido dar maior destaque às experiências profissionais do candidato, colocando essa seção logo após os dados pessoais. Este formato é o mais utilizado por quem procura trabalho, tendo em conta o pressuposto de que, na maioria dos casos, a experiência é o fator mais valorizado pelas empresas ao contratar um profissional

Dito isso, fica fácil perceber alguns possíveis cenários em que o currículo funcional é a melhor opção. Ele é mais recomendado, por exemplo, para candidatos que têm pouca experiência (no geral, ou na área em que pretende atuar) ou apresentam muitas lacunas em seu histórico profissional (seja qual for o motivo). Afinal, a experiência do candidato fica em segundo plano e não necessariamente é descrita em ordem cronológica, chamando menos a atenção em relação a eventuais lacunas.

O currículo funcional não é, no entanto, apenas uma forma de disfarçar pontos fracos. Em muitos casos, a empresa pode não estar tão interessada em suas experiências anteriores, valorizando mais algumas habilidades específicas que você pode ter. A estrutura do currículo funcional é especialmente útil em casos assim, pois permite que os empregadores entendam rapidamente quais são as suas habilidades e como elas se relacionam com a função em aberto.

Em resumo, o currículo funcional pode ser a melhor opção se você:

  • Tem pouca experiência no geral
  • Tem pouca experiência na área ou função para a qual está se candidatando
  • Tem lacunas relevantes em seu currículo, entre um emprego e outro
  • Tem habilidades especialmente relevantes para a vaga à qual está se candidatando

Como preparar um currículo funcional

Confira as dicas que preparamos para ajudar você a criar um currículo consistente e organizado, caso opte por um currículo funcional.

Informações pessoais

Esta seção abre qualquer currículo. Nela, você deve adicionar seu nome completo, informações de contato (e-mail, número de telefone e qualquer outra opção relevante) e local de residência. Você não precisa incluir seu endereço completo ou outros dados pessoais, como estado civil e números de documentos, a não ser que isso seja solicitado explicitamente na descrição da vaga.

Perfil profissional

Esta não é uma seção obrigatória, mas é recomendável em qualquer currículo – e principalmente em um currículo no modelo funcional. Afinal, seu perfil profissional fornece um pouco de contexto a seu respeito e indicar uma direção à leitura do seu currículo, o que pode ser importante se o recrutador não estiver acostumado com um currículo em um formato um pouco diferente.

Trata-se, basicamente, de um parágrafo no qual, em três a cinco linhas, você indica sua profissão/formação, nível de experiência, habilidades mais relevantes e objetivos de carreira. Cuide para que ele faça sentido para a vaga à qual você está concorrendo.

Habilidades/Competências

Este é a seção mais importante em um currículo funcional. Ela deve ficar logo após seus dados pessoais (ou depois do seu perfil profissional, caso você adicione um) e serve para você detalhar suas habilidades mais relevantes. Isso costuma ser feito em tópicos, para facilitar a consulta. Você pode descrever cada habilidade em um tópico ou listar diversas habilidades, relacionadas entre si, em um mesmo tópico.

Lembre-se de incluir, pelo menos, quatro ou cinco tópicos de habilidades nessa seção, para justificar o destaque dado a ela. Além disso, é importante fornecer exemplos que demonstrem que você realmente tem a habilidade mencionada, como metas atingidas, prêmios conquistados ou certificações obtidas.

Experiência profissional

Mesmo que você não tenha um histórico profissional relevante, ou ele não seja muito consistente, você deve dedicar uma seção a ele em seu currículo. Assim como em um currículo padrão, você deve listar as empresas onde trabalhou, o seu cargo, uma descrição das suas funções e o período de tempo em cada lugar. No currículo funcional, você pode abrir mão de datas completas e incluir apenas o ano em que trabalhou em cada empresa. Além disso, você pode abrir mão da ordem cronológica decrescente. Cuide apenas para que as experiências listadas tenham relação com a vaga desejada.

Educação

Após as seções dedicadas às suas habilidades e experiências profissionais, dedique um espaço à sua formação educacional. Neste caso, a melhor opção é, novamente organizar as informações em tópicos, indicando, em cada formação, os nomes da instituição, do curso realizado e do grau obtido. Assim como na seção dedicada à sua experiência profissional, você pode indicar apenas os anos de início e conclusão de cada curso ou formação, ou ser ainda mais sucinto(a) e mencionar apenas o ano de conclusão. Neste caso, também é recomendável deixar de fora o que não for relevante para a vaga.

Finalmente

Lembre-se de revisar o seu currículo, após terminá-lo. Reserve algum tempo para avaliar o conteúdo e conferir possíveis erros de escrita ou itens que possam ser melhorados. Não esqueça de dedicar atenção especial à seção de habilidades, afinal, ela é a principal parte em seu currículo funcional.

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.