Curriculum vitae funcional: Prós e contras

Curriculum vitae funcional: Prós e contras

Quando pensa num curriculum vitae, certamente que lhe vem à ideia um conjunto de secções organizadas em função da experiência profissional, do percurso escolar e académico, das línguas que domina, etc. Mas será que um curriculum vitae tem de ser sempre assim? A resposta é não!

Neste artigo apresentamos-lhe uma alternativa: o curriculum vitae funcional. Trata-se de uma solução diferente e mais arrojada de apresentar o seu perfil aos recrutadores. Continue a ler este artigo e saiba o que é um curriculum vitae funcional, conheça os seus pontos fortes e fracos e aprenda a criar este tipo de currículo.

O que é um curriculum vitae funcional?

Criar um currículo funcional ou temático é dar primazia às suas habilidades e competências, em vez de o apresentar da forma cronológica tradicional. Desta forma, este tipo de currículo evidencia as características concretas que poderá oferecer à empresa enquanto trabalhador, aquilo que realmente sabe fazer.

Num modelo de curriculum funcional, após o cabeçalho e o resumo ou perfil profissional, colocará competências concretas. Poderá colocar “liderança” ou “criatividade”, por exemplo, e referir em que contextos as desenvolveu. Um exemplo de “liderança” para alguém que tenha pouca experiência profissional poderia ser: “Liderei uma equipa de recenseadores nos Censos 2021 e fui capitão da equipa de basquetebol do liceu em 2018, quando ganhámos um torneio interescolas”.

Num curriculum vitae funcional, a formação e a experiência profissional não são omitidas, mas são apenas mencionadas quando são relevantes para uma determinada competência.

Também deverá optar por mencionar as competências mais indicadas para o trabalho em questão. Leia bem a oferta de emprego e escolha as características que podem maximizar as suas possibilidades de ser chamado para uma entrevista.

Quem deve optar por um currículo funcional?

Por ser um tipo de currículo diferente do habitual, enviar um curriculum vitae funcional apresenta certos riscos e nem todos os empregadores e recrutadores vão gostar de ver um curriculum vitae deste género. No entanto, há casos em que este tipo de currículo pode ser indicado, tais como:

  • Percursos profissionais atípicos: Se já trabalhou como empregado de mesa, rececionista de hotel e vendedor, poderá utilizar como competências para o currículo, por exemplo, a sua capacidade de interação com o público ou a sua capacidade de persuasão. Estas competências poderão ser úteis para o emprego a que se está a candidatar, ainda que seja diferente dos anteriores;
  • Períodos de inatividade: Se passou um longo período de tempo a viajar ou desempregado, a utilização de um curriculum vitae cronológico poderia deixar “buracos” na sua carreira. Com um curriculum vitae funcional, poderá “mascará-los”, uma vez que só precisará de apresentar as experiências relevantes para as competências referidas;
  • Reconversão profissional: Se tiver trabalhado vários anos num determinado emprego ou setor de atividade e estiver em processo de reconversão, um curriculum vitae funcional poderá ajudá-lo a encontrar um novo emprego, uma vez que não necessitará de mencionar a experiência profissional na área (que não tem). No entanto, não se esqueça de mencionar todas as características adequadas que possui para o trabalho, bem como qualquer eventual curso ou formação;
  • Quer destacar-se: Finalmente, utilizar um modelo de curriculum funcional poderá ser uma boa opção se quiser que o seu curriculum vitae se distinga dos demais. Mostrará que está consciente das suas capacidades e qualidades, e que sabe o que une as experiências educativas, de trabalho ou de outro tipo que teve anteriormente.

Aspetos positivos de um curriculum vitae funcional

De uma forma geral, os aspetos positivos de um curriculum vitae funcional são os seguintes:

  • Permite destacar as suas mais-valias;
  • Pode ajudá-lo a ficar na mente do recrutador mais facilmente;
  • Permite que coloque exatamente as competências exigidas pelo posto de trabalho em questão;
  • Possibilita que os trabalhadores independentes e freelancers, com uma experiência profissional vasta, mas muito focada em pequenos projetos, consigam resumi-las em função das suas competências;
  • Permite omitir alguns pontos negativos do seu curriculum vitae.

Aspetos negativos de um curriculum vitae funcional

Apesar de existirem aspetos positivos, também há alguns que podem não o ajudar a conseguir o trabalho. Os mais importantes são:

  • Os softwares de leitura automática de currículos podem não conseguir ler o seu CV e descartá-lo;
  • Alguns recrutadores podem pensar que está a utilizar um currículo funcional ou temático para esconder alguma coisa;
  • Pode ser confuso para os recrutadores que estão mais habituados a lidar com currículos cronológicos;
  • Em alguns contextos, um curriculum vitae funcional pode ser considerado demasiado arrojado.

Como criar um curriculum funcional

Agora que já sabe quais são os pontos positivos e negativos de um curriculum vitae funcional, passamos a apresentar as secções que deverá usar para criar um documento deste género.

Informações pessoais

Deverá colocar o seu nome, morada, endereço de e-mail e número de telefone para facilitar a sua identificação e qualquer eventual contacto para uma entrevista.

Perfil pessoal

O perfil pessoal é um pequeno texto colocado no início do seu CV. É uma espécie de apresentação e deve ser utilizado para explicar o seu objetivo de carreira bem como para deixar claro o que pretende alcançar no seu próximo emprego. Um currículo funcional sem esta parte poderá ser visto como pouco claro por parte do recrutador.

Competências e habilidades

Indique as competências que são relevantes para o trabalho ao qual se candidata. Para cada competência, explique as situações em que a adquiriu. Estas situações podem ser trabalhos anteriores, mas também cursos, formações, hobbies ou outras atividades. As competências e habilidades são a parte principal de um curriculum vitae funcional.

Realizações

Uma realização é um feito que alcançou e que o destaca de forma positiva. Por exemplo, se criou um site, cujo conteúdo e estrutura foram bem recebidos pelo público-alvo, ou se ganhou uma bolsa de mérito na universidade, não hesite em evidenciar isto pois poderá melhorar a sua imagem junto do recrutador. Se todas as suas realizações estiverem relacionadas com as competências apresentadas, pode inserir as realizações diretamente na secção anterior e ignorar esta secção.

Educação e formação

Nesta secção, enumere apenas as formações ou experiências educativas que tenha concluído e que sirvam como suporte às competências referidas anteriormente. Não precisa de fornecer informações detalhadas.

Experiência

Esta secção não é obrigatória num curriculum vitae funcional. No entanto, poderá referir eventuais experiências profissionais que estejam relacionadas com as competências mencionadas.

Outras secções

É possível colocar outras secções, como os hobbies e interesses ou os conhecimentos linguísticos. Estas devem ser adicionadas se acrescentarem valor ao seu currículo funcional.

Assegure-se de que as diferentes secções do CV são encadeadas de uma forma lógica e que se alinham com a imagem que pretende transmitir.

Conclusão

Apesar de não ser a melhor opção para todas as candidaturas, um curriculum vitae funcional pode ajudar alguns candidatos em situações específicas. Se quiser criar um CV deste género, pode procurar inspiração na internet, uma vez que existem centenas de exemplos que o ajudarão a criar o seu próprio curriculum vitae funcional.

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.