Exemplo de currículo de designer

Exemplo de currículo de designer

Um visual atraente, em harmonia com o conteúdo, e que conquiste a atenção de todos no primeiro olhar. É isso que você procura em suas criações como designer gráfico. E também é algo que você deve ter em mente ao preparar seu currículo de designer. No entanto, um currículo de designer gráfico vai além de um belo visual. O conteúdo ainda é a parte mais importante. Por isso, você deve estar preparado(a) para selecionar informações relevantes e incluí-las de uma forma inteligente em seu currículo.

Como designer gráfico, você pode atuar em diferentes áreas. De produção impressa e web design à identidade visual de marcas e design editorial, o mercado está repleto de oportunidades para profissionais criativos e competentes. Ao mesmo tempo, a concorrência é grande. Então, você deve saber usar sua inteligência para competir pelas melhores vagas de emprego.

Neste artigo, falamos sobre o que é mais importante em um currículo designer. Você saberá quais são as informações que não podem faltar em seu currículo, erros que deve evitar e como colocar suas melhores qualidades no "papel" de forma atraente para o empregador. Além disso, trazemos exemplos para cada parte de um currículo de designer.

Dados pessoais: menos é mais

Nos velhos tempos, era comum encontrarmos informações como estado civil, número do CPF e até dos pais do candidato em um currículo profissional. Na dúvida, optava-se pelo máximo de informações possível. Hoje em dia, as coisas mudaram bastante nesse sentido.

Afinal, fornecer certas informações, como estado civil e número de filhos, pode reforçar o preconceito no mercado de trabalho. Além disso, em tempos de internet, ficou muito mais fácil para o empregador solicitar qualquer informação extra para o candidato, caso haja essa necessidade.

Então, atenha-se apenas ao essencial: nome completo, local onde você mora (cidade e estado são suficientes) e meios de contato (e-mail e telefone). Como estamos falando de um currículo designer, também é uma boa ideia incluir links para seu portfólio em plataformas como o Behance ou para seu site profissional, caso você tenha um. Por fim, se você tiver perfil no LinkedIn, pode aproveitar para adicioná-lo, também.

Dados pessoais

Nome: Marina Castel

E-mail: marina.castel@email.com

Telefone: (51) 90000-9000

Endereço: Rua dos Coqueiros 1001/24 30130-200 Fortaleza-CE

LinkedIn: www.linkedin.com/in/marina.castel

Behance: www.behance.net/marina.castel

Site pessoal: www.marinasena.com

Perfil profissional: apresente sua melhor versão

Como designer gráfico, você conhece bem a importância de uma primeira impressão. Na hora de montar seu currículo design, você terá uma ótima oportunidade para isso. Porém, nesse caso, é o seu talento na escrita que será testado ao preparar um perfil profissional.

O perfil profissional, também chamado de resumo profissional, é um texto curto, com três a cinco frases. Ele funciona como uma apresentação para o seu currículo, destacando os melhores argumentos a seu favor. Você pode citar sua longa experiência, passagens relevantes em outras empresas, seu estilo enquanto designer ou qualquer outro ponto que você considere relevante para o empregador.

Para decidir o que incluir em seu perfil profissional, analise bem a descrição da vaga à qual está concorrendo. Se for uma candidatura aberta, consulte as redes sociais e o site da empresa para conhecer o tipo de projeto que ela realiza e saber o que valorizar em seu currículo designer gráfico.

Perfil

Ao longo da minha curta carreira, já acumulei experiências incríveis no mercado de design gráfico. Após uma passagem inspiradora pela Agência Touch, em São Paulo, atuo desde 2020 como freelancer em Fortaleza, tendo conquistado prêmios importantes em ambas as cidades. Agora, pretendo levar a minha criatividade e profissionalismo para a Agência Light.

Experiência no currículo de vendedor

A experiência profissional nem sempre é o critério mais importante na seleção de um designer gráfico. Afinal, um designer mais talentoso, mesmo com poucos anos de profissão, pode levar vantagem sobre um designer com vasta experiência. Ainda assim, é importante mostrar que você conhece bem a sua área, está acostumado(a) com a rotina profissional de um designer e já criou peças para projetos relevantes.

Ao mencionar experiências profissionais anteriores em seu curriculum designer gráfico, é importante citar o tipo de material que você costumava criar nas empresas por onde passou. Valorize principalmente aquilo que tem relação com a vaga à qual você está concorrendo. Quer trabalhar em uma editora? Dê destaque a projetos de livros e/ou revistas que desenvolveu anteriormente. Agência de publicidade? Foque em peças de propaganda.

Experiência

Set 2020 – Presente Designer Gráfico, Freelancer, Fortaleza

  • Criação de peças de divulgação na área cultural
  • Diagramação de publicações impressas
  • Mais de 10 projetos gráficos realizados para livros

Dez 2019 – Set 2020 Designer Gráfico, Agência Touch, São Paulo

  • Desenvolvimento de peças publicitárias
  • Criação de apresentações para clientes
  • Colaboração com redatores

Dica do especialista

Na área de design, muitos profissionais costumam atuar como freelancers por preferência pessoal ou para manterem-se em atividade enquanto procuram um trabalho fixo. Se esse for o seu caso, não deixe de mencionar o período atuando como freelancer em seu currículo de designer. Principalmente, se você tiver trabalhado em projetos relevantes nesse período.

Educação: depende da sua área de atuação

Nem sempre as empresas exigem diploma de graduação dos candidatos a uma vaga de designer gráfico. Afinal, essa não é uma profissão com um nível alto de regulamentação, e muitos designers incríveis simplesmente nunca cursaram uma faculdade ou, em alguns casos, simplesmente não foram até o fim.

No entanto, isso significa que ter uma graduação em áreas como publicidade, artes ou em um curso superior específico de design gráfico não seja relevante. Em primeiro lugar, porque, essa pode ser uma exigência da empresa, dependendo da vaga. Em segundo lugar, porque pode acabar valorizando seu currículo designer.

Ao preparar essa seção, você também pode destacar aspectos relevantes de cada formação. Por exemplo, se cursou Publicidade e Propaganda, você pode listar projetos dos quais participou e que têm relação com a área de design. Isso vale para cursos de extensão, trabalhos de destaque e o que mais você achar relevante.

Formação

Fev 2016 – Nov 2019 Bacharelado em Design Visual, ESPM, São Paulo

  • Ênfase em Publicidade e Propaganda
  • Programa de extensão no laboratório de mídias sociais
  • Trabalho de conclusão sobre arte contemporânea e semiótica

Habilidades relevantes para vendedores

Na área de design, é muito comum a utilização de softwares específicos, como Illustrator, Photoshop e InDesign (todos do pacote Adobe). Ao mesmo tempo, há conhecimentos específicos que podem ser importantes para o empregador, como diagramação e tratamento de imagens.

Portanto, antes de preparar seu currículo designer, é importante analisar a vaga à qual você está concorrendo e pensar em quais das suas habilidades podem fazer mais diferença nesse caso. Afinal, não adianta listar mais de 20 habilidades, se poucas delas são relevantes para quem for avaliar seu currículo.

Atenha-se a uma lista curta, mas que inclua suas principais competências. Além das hard skills (habilidades técnicas), já citadas, algumas soft skills (habilidades sociais) também podem ser valorizadas pelo empregador, como a capacidade de cumprir prazos e uma boa dose de flexibilidade.

Qualidades

  • Pacote Adobe
  • Identidade visual para empresas
  • Diagramação
  • Tratamento de imagens
  • Criatividade
  • Respeito a prazos

Como formatar seu currículo

Como designer, você deve ter atenção especial à aparência do seu currículo. Muitos profissionais da área optam por preparar peças criativas, que fujam do formato tradicional. Apesar de essa ser uma opção interessante, em alguns casos, também é altamente arriscada. Afinal, você estará chamando toda a atenção do empregador para uma peça específica, o que pode ofuscar outros projetos nos quais você trabalhou.

O melhor, portanto, é só inventar algo mais ousado se você tiver absoluta certeza de que a ideia é boa – e de que a execução será ainda melhor. Na maioria dos casos, é mais seguro usar um currículo mais próximo do padrão, dando seu toque pessoal aqui e ali. Lembre-se de que, em geral, um bom portfólio será mais importante que o seu currículo de designer para o empregador.

Isso não significa, claro, que você não deve se preocupar com o seu currículo. Pelo contrário, lembre-se de que qualquer detalhe nele pode ser visto como uma falha de design: uma fonte mal-escolhida, um layout equivocado etc. Portanto, cuide para selecionar fontes boas, com tamanhos adequados. Além disso, distribua o conteúdo de forma harmoniosa na página, tendo cuidado na escolha das cores e no formato dos cabeçalhos.

Em relação à ordem das seções, o currículo padrão tem a seguinte organização:

  • Dados pessoais
  • Perfil profissional
  • Experiência
  • Educação/Formação
  • Habilidades
  • Idiomas
  • Outras seções

Essa ordem pode ser modificada, se você tiver pouca experiência profissional. Por exemplo, você pode mencionar sua formação antes. Por isso, avalie bem que tipo de profissional você é e qual é a melhor organização possível para as suas informações.

Por fim, lembre-se de manter seu currículo em uma só página.

Crie seu currículo agora!

Quer se destacar no mercado de trabalho? Então, selecione um modelo de currículo para designer gráfico e preencha seus dados em poucos minutos.

Crie o seu currículo de designer agora mesmo!

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.