Currículo de Portugal: dicas e exemplos

Currículo de Portugal: dicas e exemplos

Adaptar seu currículo é uma etapa importante se você pretende concorrer a vagas para trabalhar em Portugal. Afinal, há diferenças significativas entre o português que se fala e escreve no Brasil e em Portugal, e você certamente pretende causar o mínimo de estranheza ao recrutador que for ler seu currículo no outro lado do Atlântico. Há muitas oportunidades de empregos em Portugal para brasileiros, e a língua em comum é um atrativo a mais para quem pretende imigrar para a antiga metrópole. Por isso, demonstrar que você domina bem o idioma, além dos costumes locais, pode fazer toda a diferença.

Não são muitas as diferenças entre os modelos de currículo padrão utilizados no Brasil e em Portugal. Na verdade, em geral, eles seguem muitos os costumes que são comuns a diversos países pelo mundo. Isso diz respeito tanto às informações que se costuma incluir no currículo em português quanto à forma de organizar as seções e os itens dentro de cada uma delas.

No entanto, há sim alguns pontos nos quais você deve prestar atenção ao preparar um currículo de Portugal. Existem diferenças claras no vocabulário, mas também em outros elementos, como veremos a seguir.

Formato do currículo de Portugal

Como já adiantamos, o curriculum vitae em português de Portugal tem estrutura semelhante à de um currículo padrão no Brasil. As seções têm, em geral, o mesmo conteúdo que nos currículos brasileiros. Já os nomes das seções podem variar. Por exemplo, no currículo de Portugal:

  • A seção Dados pessoais costuma ter o mesmo nome
  • O Resumo Profissional é mais conhecido como Perfil Pessoal ou Nota Pessoal
  • A seção de Experiência Profissional também costuma levar o mesmo nome
  • O mesmo se aplica à Educação ou Formação. Porém, caso opte por Formação Académica, cuide a acentuação da letra 'e', diferente em Portugal
  • A seção Habilidades costuma ser chamada de Aptidões ou Competências
  • Idiomas tem o mesmo nome no Brasil ou em Portugal
  • Seções adicionais podem ou não tem variações em seu nome

A ordem entre as seções também costuma seguir o padrão observado em currículos brasileiros. No caso, o ordenamento mais comum é o mesmo no qual as seções estão listadas acima. Você pode inverter as seções dedicadas à sua experiência profissional e educação, caso ache que isso torna seu currículo melhor. Da mesma forma, pode adaptar o currículo para um formato funcional, com suas aptidões listadas no início do documento, logo após o perfil pessoal.

Por fim, os itens dentro de cada seção costumam ser listados em ordem decrescente, para que experiências e formações mais recentes fiquem em destaque. Ou seja, também neste caso, repete-se o padrão mais adotado no Brasil.

Como adaptar o português em seu currículo

Se você pretende preparar um currículo para se candidatar a empregos em Portugal, é importante decidir, antes de tudo, se irá adaptar o idioma escrito para o mercado português. Caso tome essa decisão, você poderá escrever o currículo sozinho(a) ou contar com a ajuda (ou os serviços pagos) de alguém.

Caso decida adaptar ou criar seu currículo de Portugal sem ajuda, é recomendável que peça ao menos uma revisão do currículo, posteriormente, por um português nativo. Afinal, isso o ajudará a evitar gafes ou confusões causadas pelas diferenças linguísticas entre os países.

Nacionalidade e visto em um currículo em português

Uma dúvida comum entre profissionais brasileiros que procuram oportunidades para trabalhar em Portugal diz respeito a incluir ou não informações sobre nacionalidade e visto de trabalho no currículo. Afinal, pode haver o receio de sofrer algum preconceito, principalmente ao competir com profissionais locais.

Além disso, em muitos casos, o(a) candidato(a) não tem visto válido para trabalhar ou outra condição que permita começar imediatamente no novo emprego, caso seja selecionado(a). Há também dúvidas sobre citar ou não o local de residência, caso o(a) profissional ainda esteja morando no Brasil no momento da candidatura.

Você não é obrigado(a) a mencionar sua nacionalidade. Então, só inclua essa informação se ela puder ajudar em sua candidatura.

Em relação ao local de residência, não há muito o que fazer: você precisará mencionar que está no Brasil. Afinal, isso afeta diretamente sua capacidade de comparecer a uma entrevista presencial, por exemplo, ou iniciar imediatamente, caso seja chamado(a) pela empresa. Ou seja, esconder essa informação só torna tudo pior. Resumindo, caso esteja no Brasil, mencione apenas o nome do país como sua localização, na seção relativa a seus Dados Pessoais. Se já estiver em Portugal, inclua também o nome da cidade.

Você não é obrigado(a) a mencionar sua nacionalidade. Então, só inclua essa informação se ela puder ajudar em sua candidatura. Há alguns casos específicos sobre os quais isso se aplica. Por exemplo:

  • Vagas destinadas exclusivamente ou preferencialmente a brasileiros
  • Quando a empresa pede aos candidatos que incluam essa informação
  • Se você também tem cidadania portuguesa ou de outro país da União Europeia

Além desses casos, pode haver diversas outras situações nas quais vale a pena mencionar sua nacionalidade. Portanto, avalie caso a caso. Muitos candidatos evitam a todo custo mencionar a nacionalidade, mas, dependendo das demais informações em seu currículo (como experiência, educação e dados de contato), isso pode se tornar inútil.

Você também pode incluir uma menção ao fato de ter um visto de trabalho ou um visto de residência válido no país, caso queira passar maior segurança ao empregador quando ele for ler o seu currículo. Uma nacionalidade da União Europeia pode ter esse mesmo efeito. De qualquer modo, nenhuma dessas informações é obrigatória.

Informações de contato no currículo

Em seus dados pessoais, você também deve incluir informações de contato, principalmente seu número de telefone e endereço de e-mail. Ao mencionar seu telefone, caso não esteja morando em Portugal e/ou não tenha um número português, descreva seu número completo, incluindo código de área e do país.

Os códigos do país e da região devem ficar bem claros para quem for ler seu currículo. Assim, você ajudará o recrutador ou empregador que decidir entrar em contato. Se você mora no Brasil, no estado de São Paulo, pode descrever assim o seu número:

+55 11 99999-9999

Nesse exemplo, além do código de área de São Paulo (11), consta o código brasileiro.

Caso já esteja morando em Portugal, você não precisa se preocupar em incluir o código do país. Além disso, não há códigos de área. Ou seja, tudo fica mais fácil. Seu número de Portugal, com nove dígitos, ficaria assim:

999 999 999

Por fim, você pode adicionar seu nome de usuário do Skype ou outra opção de contato no currículo em português. Assim, dará mais alternativas para o recrutador ou empregador entrar em contato

Dica do especialista

Há alguns elementos que podem reforçar seu currículo ao se candidatar para trabalhar em Portugal e tirar o peso da sua condição de imigrante. Exemplo disso são os conhecimentos em idiomas. Além do inglês, também são muito valorizados no país o francês e o alemão, devido a laços culturais, pelo peso econômico desses países na União Europeia ou, em específico, pelo seu peso no setor de turismo em Portugal. Não deixe, também, de destacar experiências e formações anteriores que tenham sido realizadas no exterior ou em contato com instituições, fornecedores e clientes de outros países.

Finalmente

Lembre-se de revisar mais de uma vez seu currículo de Portugal. Se possível, peça para que algum falante nativo leia o documento ou contrate alguém para essa finalidade. Assim, você garante que a linguagem utilizada está de acordo com o português europeu ou, no mínimo, é clara e livre de gafes. Tenha o mesmo cuidado com a mensagem de e-mail que você irá mandar, caso encaminhe seu currículo por esse meio.

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.