Currículo PCD e doença no trabalho

Currículo PCD e doença no trabalho

Um bom currículo costuma ser um elemento importante para quem procura emprego, podendo deixar o candidato mais próximo de uma entrevista. No entanto, o preparo do currículo também gera algumas dúvidas comuns a perfis específicos de candidatos. Esse é o caso, por exemplo, das pessoas com deficiência (PCD), que podem ficar indecisas sobre mencionar ou não a sua condição no currículo.

Cabe a cada candidato decidir quais as informações que pretende partilhar com os recrutadores ou não. Neste artigo, trazemos dicas para quem pretende preparar um currículo PCD ou está em dúvida sobre mencionar ou não uma doença no currículo.

Devo mencionar minha deficiência no currículo?

Você não precisa mencionar em seu currículo que é PCD. Há quem prefira deixar para abordar essa questão pessoalmente, na hora da entrevista de emprego. Outras pessoas preferem simplesmente não comentar esse ponto em momento algum, o que também é uma opção válida e compreensível. O importante é que você se sinta confortável com a sua decisão.

Ainda assim, você pode se beneficiar ao mencionar sua condição no currículo, por diferentes motivos. Entre eles, está a chance de sinalizar para a empresa, deste modo, a necessidade de algum suporte para que sua entrevista seja realizada. Ao mencionar sua condição, você também se colocará como opção para vagas exclusivas para PCD, existentes em muitas empresas. Cabe a você, no entanto, decidir se esses são bons motivos para mencionar sua deficiência no currículo.

Devo mencionar minha doença no currículo?

Se você tem alguma doença crônica ou ficou afastado(a) do trabalho devido a uma doença grave em algum momento da sua carreira, também não tem obrigação de mencionar isso em seu currículo. Ao redigir seu currículo, não se sinta obrigado(a) a mencionar todas as informações relativas à sua situação pessoal.

Além de você não ter obrigação de mencionar uma doença em seu currículo, há uma justificativa prática para não fazer isso. Infelizmente, no Brasil, os fatores de discriminação na contratação ainda são numerosos e o estado de saúde não é exceção.

Infelizmente, alguns empregadores podem pensar que você não será produtivo o suficiente em seu trabalho ou que você poderá solicitar licenças médicas após ser contratado(a). Claro que isso não se justifica, mas para evitar que seu currículo seja descartado antes mesmo de uma entrevista de emprego, o mais indicado é não mencionar uma doença em seu currículo.

Discriminação por deficiência ou doença no Brasil

Segundo uma pesquisa, realizada pelo Ibope para o Ministério Público do Trabalho de São Paulo, indica que 69% dos entrevistados com deficiência já sofreram algum tipo de discriminação no ambiente de trabalho.

É importante lembrar, no entanto, que a discriminação por deficiência ou doença no trabalho é proibida no Brasil. O art. 7º, inciso XXXI da Constituição Federal protege as pessoas com eficiência de qualquer forma de discriminação na admissão. Já o decreto nº 3.298/99 estipula normas específicas para a inclusão das PCDs no mercado de trabalho.

Portanto, nenhum empregador pode indicar um critério de saúde em uma descrição de vaga de emprego. Isso ocorre da mesma forma como não pode haver exigências relativas a sexo, raça ou orientação sexual, por exemplo. Se você perceber qualquer forma de discriminação nesse sentido, pode procurar orientação jurídica e denunciar a prática.

Lacuna no currículo devido a afastamento por doença

Mesmo que você já não tenha qualquer doença ou condição física específica, um período de afastamento do trabalho anterior pode repercutir em seu currículo. Afinal, isso pode significar uma lacuna em sua experiência de trabalho no currículo. Caso seu currículo seja cronológico, o período sem trabalhar ficará ainda mais evidente.

Se essa lacuna for significativa (por exemplo, mais de um ano sem trabalhar), você pode justificá-la de modo breve, citando “circunstâncias pessoais”, por exemplo. Você não precisa entrar em detalhes, pois poderá fornecer mais detalhes durante a entrevista de emprego se necessário.

Como falar de uma deficiência ou doença em uma entrevista

Independentemente do que você colocar em seu currículo, é possível que surjam perguntas sobre sua condição de PCD ou sobre sua doença em outras etapas de uma seleção de emprego, principalmente em uma entrevista. Neste caso, você deve ser honesto sobre a sua condição e, ao mesmo tempo, deixar claro que ela não tem influência alguma sobre sua competência ou compromisso com o trabalho.

Do mesmo modo, caso você tenha passado um período afastado(a) do trabalho, deve demonstrar que continua atualizado(a) profissionalmente e pronto(a) para desempenhar sua função. Acima de tudo, não deixe que a sua condição afete sua confiança em nenhum momento do processo seletivo!

Currículo PCD: como mencionar uma deficiência

Assim como você não é obrigado(a) a mencionar uma deficiência no currículo, também não existem regras específicas com relação à forma de fazer isso, caso você opte por fazê-lo. A seguir, indicamos duas estratégias que podem ser seguidas ou adaptadas conforme suas preferências pessoais.

Mencionando sua deficiência nos dados pessoais

A primeira seção de qualquer currículo é dedicada aos dados pessoais e de contato do candidato. Os dados que devem ser incluídos nesta seção podem variar. Caso você queira citar sua deficiência no currículo, sem dar mais informações a respeito, pode aproveitar para citá-la brevemente nesta seção:

  • Nome completo
  • Local (cidade)
  • Telefone
  • E-mail
  • Breve menção à sua deficiência (neste caso)

Neste caso, você pode apenas incluir a expressão "Pessoa com deficiência", sem entrar em detalhes. Exemplo:

Dados pessoais

Francisco Silveira

Gerente de marketing

francisco.silveira@email.com

(11) 12121-2121

Pessoa com deficiência física

Observações específicas sobre sua deficiência

Você pode ver vantagens em dar mais detalhes sobre a sua deficiência no currículo. Como explicado anteriormente, há alguns cenários específicos em que isso pode ocorrer, como no caso de vagas específicas para PCDs. Se for esse o seu caso, você pode ter uma seção específica para informações sobre a sua deficiência, incluindo dados como:

  • Número do CID (Código Internacional de Doenças) e grau de deficiência
  • Equipamentos/adaptações necessárias por parte da empresa, se for o caso
  • Equipamento/recursos pessoais que irá utilizar na empresa
  • Uso de veículo adaptado e necessidade de vaga especial de estacionamento
  • Descrição das suas limitações, conforme julgar necessário

Confira um exemplo de como ficaria esta seção ao final de um currículo PCD:

Observações/Informações sobre a deficiência

CID Z99.3 (com laudo médico)

Utiliza cadeira de rodas

Necessidade de rampas/elevadores de acesso

Finalmente

Você não precisa fazer menção alguma, seja no currículo ou em outras etapas de um processo seletivo, ao fato de ser PCD. Deverá seguir apenas as orientações comuns a qualquer profissional em sua área. No entanto, como demonstramos neste artigo, há situações em que esse assunto pode surgir. Inclusive, há situações em que você pode se beneficiar disso. O importante é que você esteja ciente dos seus direitos e da sua competência profissional, independentemente de limitações físicas ou de uma doença específica, e tome suas decisões com base nisso.

Fique à frente da concorrência

Faça com que as suas inscrições de emprego se destaquem dos outros candidatos.